A Misericórdia Divina fonte das vocações

Por - Categoria -- > Palavra Vocacional

Jesus-Divina-Misericordia3

Eles deixaram tudo e o seguiram”. (Mt 4, 20) Este é o convite amoroso de Deus, um chamamento que nos constrange e nos impele a ir além de nós mesmos. Esta é uma realidade que nos encanta, mesmo diante do grandioso mistério de que ela se reveste.

            Ao ser interpelado por este convite amoroso de Deus, muitas vezes nos questionamos sobre nossa capacidade de resposta! Ouço muito jovens que trazem dentro de si, um misto de alegria e ansiedade em responder àquele convite para se doarem à vida sacerdotal, religiosa ou consagrada, mas também trazem um receio de não conseguirem, duvidando assim de sua capacidade. Mas na verdade, é preciso nos conscientizar que não é por causa de nossa capacidade e honras, mas unicamente pelo amor misericordioso de Deus que somos chamados.

            Cada dia mais, estou convencido que nossa vocação é fruto exclusivo e amoroso da Misericórdia Divina. Pois somente fitando nosso olhar nos raios da Infinita Misericórdia, compreendemos que somos e fomos chamados, não por nossos méritos e qualidades, mas apesar de nossos defeitos e misérias. Como nos disse Papa Francisco: “Há momentos em que somos chamados, de maneira ainda mais intensa, a fixar o olhar na misericórdia, para nos tornarmos nós mesmos sinal eficaz do agir do Pai. ” (Misericordiae Vultus), e no processo de discernimento vocacional este é o único caminho.

            Santa Faustina diante do seu chamado, se coloca em oração para tentar compreende-lo, e neste exato momento ouvi de Jesus: “Eu necessito de sua grande miséria para revelar a minha Infinita Misericórdia”. Esta verdade nos interpela, pois a cada dia precisamos nos conscientizar de que somos chamados pelo amor misericordioso de Deus. Jesus quis necessitar de você, caro jovem, para ser testemunha do amor e misericórdia, em um mundo tão carente de Deus. Ouçamos o apelo de São João Paulo II: “O próprio mistério de Cristo obriga-me igualmente a proclamar a misericórdia como amor misericordioso de Deus. Ele me impele ainda a apelar para esta misericórdia e a implorá-la nesta fase difícil e crítica da história da Igreja e do mundo”. (Dives in Misericordia, 10). Sejamos todos nós o rosto da Misericórdia de Deus para nossos irmãos e irmãs.

            Tenha a coragem e a ousadia de deixar se conduzir por este Deus que te ama e te chama, de uma maneira incondicional. E que neste ano jubilar da Misericórdia, muitos sejam amparados e encorajados por esta verdade.

 

 

 

Pe. Elias Aparecido da Silva

Pastoral Vocacional

Diocese de Uruaçu – GO

Regional Centro Oeste – CNBB

DEIXE SEU COMENTÁRIO