Formação

Por - Categoria -- > Destaques, Formação, Notícias

encontro-de-formacao-para-lideres-da-rcc-tocantinsREUNIÃO DE FORMAÇÃO
A FUNÇÃO DO AGENTE DE PASTORAL

VOCACIONAL NA PARÓQUIA

A. Na área da oração
Mt 9, 36 -38: orar ao Senhor da messe, pois poucos são os operários.
As atividades da E.V.P. consistem em levar a comunidade a rezar e a escutar a Palavra de Deus maneira mais consciente e mais freqüente pelas vocações. Para isso, haverá de promover orações, celebrações, reflexões, e outras atividades mais, que ajudem as pessoas a descobrirem a vocação à qual Deus as está chamando.
Sugestões de atividades nesta área
Missas vocacionais; hora santa vocacional; via-sacra vocacional; cuidar que as vocações sejam sempre lembradas nas preces dos fiéis; divulgação de textos vocacionais; organizar grupos de famílias que rezem pelas vocações; terços vocacionais; partilhar textos que tratem de temas vocacionais e façam acontecer aquilo que seja de criatividade da própria E.V.P.
Dar atenção especial ao dia mundial de oração pelas vocações, o 4º. Domingo dedicado ao Bom Pastor. Para isso será oportuno providenciar com antecedência a carta que o Papa anualmente dirige a toda Igreja, nesta data; distribuir as cópias entre os membros da E.V.P. para meditação e estudo, organizar uma vigília de oração na véspera do Dia Mundial de Oração pelas vocações e expressar durante todo o dia a importância desta data com orações e diálogos sobre o assunto.
Organizar com especial empenho o mês de Agosto: mês vocacional.
Dar especial importância às celebrações de abertura e de encerramento do mês vocacional ;
Entender-se com o pároco para que façam pregações especiais sobre as vocações em todos Domingos de Agosto;
Que se prepare de antemão comentários para as Missas, preces dos fiéis;
Planejar e divulgar com antecedência Horas Santas ao longo do mês com diferentes grupos: jovens, adultos, crianças, casais, idosos etc.
Movimentar toda a comunidade por ocasião de ordenações de diáconos, padres, bispos e também as profissões religiosas para uma intensa preparação e participação.
Para isto se faz necessário motivar a paróquia, avisar nas Missas, escrever artigos,fazer cartazes e distribuí-los nas comunidades e lugares públicos, orientar os agentes da E.V.P., dinamizar os colégios e ainda promover novenas preparatórias ao se aproximar da data. Pode também dedicar atenção especial aos aniversários de nascimento, ordenação, profissão religiosa do bispo, do padre, das religiosas da comunidade, dedicar atenção especial aos jubileus de prata e de ouro dos mesmos e lembrar de Maria, “mãe das vocações”: ter a Virgem Maria como modelo vocacional.

A1) Sugestões de atividades nesta área:
a) Missa vocacional mensal. Por exemplo: no 1o. Sábado ou no 1o. Domingo de cada mês;
b) Hora Santa vocacional: convidar grupos, movimentos, providenciar subsídios antes, cantos, comentários etc;
c) Via-Sacra vocacional;
d) Celebrações da Palavra com temas vocacionais;
e) Cuidar que as vocações sejam sempre lembradas nas preces dos fiéis nas Missas, em todas as celebrações e ocasiões possíveis;
f) Divulgar textos de orações pelas vocações, Horas Santas vocacionais;
g) Organizar grupos de famílias para rezar pelas vocações;
h) Aproveitar a Quinta-feira Santa para uma vigília eucarística vocacional especial;
i) Organizar vigílias eucarísticas vocacionais só para jovens em dias especiais
j) Combinar um dia de visita vocacional a catequese
k) Terço vocacional;
l) Meditação de textos vocacionais, bíblicos ou não.
E mais…
Dar atenção especial ao Dia Mundial de Orações pelas Vocações, 4o. Domingo da Páscoa, Domingo do Bom Pastor.
Para isso:
a) Providenciar com antecedência a copiada carta que o Papa anualmente dirige a toda a Igreja nesta data;
b) Distribuir a cópia desta carta do Papa às pessoas responsáveis da P.V., Movimentos e Pastorais da paróquia;
c) Estudar a cartas do Papa com a E.V.P.;
d) Organizar uma vigília de oração na véspera do Dia Mundial de Orações pelas Vocações;
e) Organizar Hora Santa no mesmo dia nas diversas comunidades da paróquia.
Organizar com especial empenho o mês de Agosto: mês vocacional.
a) Dar especial importância às celebrações de abertura e de encerramento do mês vocacional;
b) Entender-se com o pároco para que faça pregações especiais sobre as vocações em todos os Domingos de Agosto;
c) Que se prepare de antemão comentários para as Missas, preces dos fiéis etc…;
d) Planejara e divulgar com antecedência Horas Santas ao longo do Mês com diferentes grupos: jovens, crianças, adultos, casais e outros.
Movimentar toda a comunidade por ocasião de Ordenações de diáconos, padres, bispos, e também as Profissões Religiosas para uma intensa preparação e participação.
Para isso:
a) Movimentar a paróquia;
b) Avisar nas Missas;
c) Escrever artigos;
d) Fazer cartazes e distribuí-los nas comunidades e lugares públicos;
e) Orientar os agentes da P.V.;
f) Dinamizar os colégios;
g) Promover novenas preparatórias ao aproximar a data.
E ainda…
a) Dedicar atenção especial aos aniversários de nascimento, Ordenação e profissão religiosa do bispo, do padre, das religiosas da comunidade;
b) Dedicar a atenção especial aos jubileus de prata e de ouro dos mesmos;
c) E lembrar de Maria “a mãe das vocações”.

B) Na área de formação
a) A P.V. exige dos agentes vocacionais uma formação contínua e intensa;
b) Antes de qualquer coisa a E.V.P. deverá esclarecer à comunidade da necessidade, da natureza e da grandeza das vocações, principalmente das de especiais consagrações;
c) Em segundo lugar a E.V.P. deverá conscientizar a comunidade de que todos os cristãos são responsáveis pelas vocações;
d) Finalmente a E.V.P. deverá ajudar as pessoas a entenderem e se convencerem de que cada cristão tem sua vocação própria. Vocação esta que é Pessoal, Única e Intransferível.
e) Podem ser dirigidas aos adultos, aos jovens ou à comunidade todas as atividades de formação a serem desenvolvidas pela E.V.P.
B1) Sugestões de atividades na área de formação:
a) Cursos de P.V.;
b) Catequese vocacional para crianças, adolescentes, jovens e adultos;
c) Breves apelos e instruções litúrgicas;
d) Caminhadas vocacionais com instruções sobre o tema;
e) Festival de música vocacional;
f) Concursos vários de: poesias, cartazes orações vocacionais, teatros vocacionais;
g) Boletins informativos paroquiais;
h) Programas radiofônicos;
i) Visitas às escolas promovendo conscientização vocacional com: slides, filmes, teatros;
j) Promoções de encontros com outras pastorais e movimentos da paróquia;
k) Imprimir e divulgar folhetos vocacionais instrutivos;
l) Divulgar livros vocacionais;
m) Organizar uma biblioteca vocacional;
n) Promover reflexões vocacionais em grupos de famílias;
o) Círculos Bíblicos para estudos sobre as vocações na Bíblia;
p) Gincanas vocacionais com jovens e adolescentes nos grupos diversos da paróquia bem como também nas escolas;
q) Mês Vocacional: abertura e encerramento de modo movimentado e formativo;
r) Na preparação para as Ordenações e Profissões Religiosas dar uma formação correspondente às vocações na Igreja;
s) Visita as famílias de vocacionados/vocacionadas;
t) Usar os serviços de mural, de jornalzinho da Igreja para divulgação;
u) Projeção de filmes vocacionais para a comunidade,movimentos e grupos diversos;
v) Convidar em ocasiões especiais padres, missionários, missionárias, religiosos, religiosas, leigos consagrados para darem seu testemunho vocacional;
w) Promover visitas ao Seminário Diocesano e às casas de formação religiosa;
x) Clubes vocacionais para adolescentes com lazer, formação e oração;
y) Plantão de orientação vocacional.

C) Na área do chamado direto:
Os animadores e animadoras devem ter a coragem de chamar e propor aos vocacionados/vocacionadas a opção alegre e radical do segmento de Cristo, sem temor ou receio.
C1) Para isto se deve:
a) Deve ao mesmo tempo dar o testemunho coerente e transparente de seguimento de Cristo = regra de ouro da animação vocacional. O testemunho externo é indispensável para que haja o testemunho interno.
b) Necessidade de uma mística profunda, capaz de comunicar a própria experiência de comunhão com a Trindade e que abra às pessoas para o serviço dos irmãos e irmãs;
c) Organizar e articular os membros da E.V.P. de tal forma que sejam capazes de ir ao encontro do/a jovem com uma linguagem rural/simples;
d) Que haja um processo de formação contínuo e permanente, a fim de qualificar o agente vocacional, pois não basta somente a boa vontade mas deve haver também a competência.
C2) Requisitos para o chamado:
a) Chamar é atividade decisiva da P.V.;
b) Não esperar que alguém se apresente;
c) Chamar sem ter medo de chamar;
d) Chamar sem temer a decepção;
e) A quem chamar? Aquelas pessoas que mostram um sinal de vocação. Cuidado: não procurar todos os sinais de uma vez só na pessoa do/a vocacionado/vocacionada. Alguns sinais de vocação estão escondidos e outros precisam ser desenvolvidos. Aqui entra o papel da P.V., dos Seminários e das Casas de Formação fazer desenvolver esses sinais de vocação evidentes e despertar os que ainda não apareceram.
f) Chamar pelo nome e até pelo sobrenome: “fixar os olhos” para verificar os sinais de vocação: “fixando o olhar em Simão, Jesus lhe disse: Tu és Simão, filho de João. Será chamado Céfas, que quer dizer Pedra.” (Jo 1, 42);
g) Evitar os chamados gerais. Diante de um grupo de jovens dizer: “quem quiser ser padre venha falar depois comigo” ou “quem quiser religiosa vá depois falar com esta ou aquela irmã”, a experiência já comprovou que isso não funciona;
h) A vocação é uma questão de pessoa a pessoa: “a vocação é um diálogo inefável entre Deus que chama e o homem que responde nas profundezas da consciência de modo livre e consciente” (PDV);
i) Quem deve chamar? As pessoas mais indicadas para chamar os vocacionados e as vocacionadas são o padre, o religioso ou a religiosa, o seminarista, os membros da P.V., agentes de outras pastorais sobretudo catequistas e a própria comunidade.
D) Na área da colaboração financeira:
No campo da P.V. as atividades financeiras têm a aplicação Pastoral.
D1) O que visam essas atividades:
a) Formação dos futuros padres;
b) Manutenção dos seminaristas no Seminário;
c) Construção de Casas de Formação;
d) Sustentar as atividades da própria E.V.P.
D2) Sugestões de atividades financeiras:
a) Carnês de pagamento mensal para o Seminário;
b) Coletas em datas especiais;
c) Chás beneficentes;
d) Barracas em prol das vocações na festa do padroeiro e em outras festas;
e) Espetáculos artísticos e de diversão: festival, shows, de cunho vocacional;
f) “Bolo vocacional”: repartir um bolo para a comunidade após as Missas, solicitando contribuições especiais;
g) Churrasco, noite de pizza, festival de sorvetes, tarde de sobremesa;
h) Bazar da pechincha;
i) Ajuda material com doação de gêneros alimentícios e escolares para os Seminários e para as Casas de Formação Religiosa.
OBS: Essas sugestões podem inspirar muitas outras, possivelmente mais originais, contudo tenham sempre em conta o senso de possível.
D3) Prestação de contas:
Aconselhamos que as pessoas responsáveis pela parte financeira da P.V. prestem contas às comunidades sobre:
a) A forma que foi encaminhada a doação recebida;
b) A destinação do que foi arrecadado;
c) No que a importância foi usada.
Os doadores têm o direito de informação do destino de suas contribuições, além disso as pessoas se sentem mais animadas a continuar ajudando, quando sabem quanto, quando e no que a renda foi aplicada.
Conclusão:
Todas as atividades são a E.V.P. que deve organizar e incentivar, ou a E.V.P. organiza e anima essas atividades, ou nada, ou muito pouco, se fará pelas vocações.

DEIXE SEU COMENTÁRIO